menu
Partilhar

Atenção sustentada: o que é e como trabalhá-la

 
Por Gianluca Francia, Psicólogo. 19 julho 2022
Atenção sustentada: o que é e como trabalhá-la

O que precisamos quando temos que estudar para um exame? Lear as anotações, as páginas do manual e processar a informação durante várias horas exige atenção sustentada. Claramente, o benefício desta atividade cognitiva não será imediato, pois provavelmente descobriremos a efetividade apenas no dia do exame em si.

A atenção sustentada permite focar a atividade mental por um período prolongado. Por este motivo, se emprega uma ampla gama de tarefas que precisam de uma capacidade de concentração com um ritmo constante no tempo, isto é, nosso cérebro centra sua atenção na realização de atividades complexas. Neste artigo de Psicologia-Online, nos aprofundaremos sobre a Atenção sustentada: o que é e como trabalhá-la.

Também lhe pode interessar: Tipos de atenção

O que é atenção sustentada

A atenção sustentada é a capacidade de controlar e manter a atividade cognitiva sobre estímulos específicos, mais especificamente de fazer perdurar as funções mentais de seleção e controle dos estímulos. Na hora de realizar uma tarefa programada, qualquer ação sequencial deve usar a atenção sustentada. De Gangi e Porges[1] consideram que a atenção sustentada compreende três etapas:

  1. A ativação da atenção: se descreve como um reflexo de orientação ou "orientação inicial de alerta a um estímulo". Esta ativação depende da relevância do estímulo, da experiência passada do sujeito e de sua reatividade individual às estimulações sensoriais.
  2. A manutenção da atenção: se produz quando a ativação persiste porque um estímulo é tão novo ou complexo para o sujeito que isto o motiva a processá-lo.
  3. A queda da atenção: representa a separação da atenção de um estímulo. Pode ocorrer devido à fadiga física ou mental, ou porque se presta atenção a estímulos novos ou diferentes.

Ao conceito de atenção sustentada se une o de supervisão, o qual faz referência à capacidade de controlar os acontecimentos pouco salientes e pouco frequentes. De fato, a vigilância pode ser considerada a "mãe da atenção sustentada".

Por sua vez, a vigilância depende do arousal, isto é, o tom energético geral de nosso sistema cognitivo e o esforço dedicado (expressão da motivação). Ao longo das três etapas de atenção sustentada, a relação ótima entre o arousal e a atenção sustentada é fundamental no processo de tratamento da informação e na aprendizagem.

Patologias associadas à atenção sustentada

Os transtornos de atenção podem ser divididos em três grandes categorias, dependendo da capacidade de atenção específica que se torna deficitária. As veremos a seguir:

  • Transtorno de atenção sustentada: os estímulos objetivo podem ser estímulos visual-espacial e auditivo-verbais. Este transtorno está predominantemente a cargo do hemisfério direito, que parece mais capaz, do que o esquerdo, de manter a atenção durante um tempo prolongado. No entanto, o transtorno de atenção sustentada também pode implicar lesões no córtex pré-frontal, no parietal posterior e no lóbulo temporal.
  • Síndrome de Down: déficit cognitivo com tempos de atenção curtos, tempos de reação lentos, limitações na memória de curto prazo, capacidade reduzida de discriminação sensorial e defeitos auditivos.
  • TDAH: as crianças com o transtorno por déficit de atenção com hiperatividade têm uma capacidade de atenção sustentada deficiente. De fato, seus tempos de atenção são muito curtos. Se você quer saber mais, neste artigo, te contamos quais são os tipos de TDAH e suas características.
Atenção sustentada: o que é e como trabalhá-la - Patologias associadas à atenção sustentada

Como trabalhar a atenção sustentada

A seguir, seguem propostas de diferentes exercícios para trabalhar a atenção sustentada:

  • Apagar figuras: apagar o mais rápido e corretamente possível todos os objetivos que uma determinada característica possui. Por exemplo, todos os quadrados, as figuras vermelhas, ou todos os triângulos com a ponta na parte superior. Também se podem apagar dois objetivos juntos.
  • Supressão de números: dado um número objetivo, o sujeito deve apagar todos esses números o mais rápido possível e corretamente possível. Também se pode apagar os números em conjunto.
  • Operações matemáticas sobre material auditivo: voz gravada, versão lenta e rápida para intervir também na rapidez do processo informativo. Por exemplo, apertar um botão se o segundo número é consecutivo ao anterior na série natural.
  • Séries numéricas mentais com operações: outra das atividades para trabalhar a atenção sustentada consiste em pedir ao sujeito que conte de trás para frente uma certa quantidade, a partir de certo número. O sujeito deve ser rápido e preciso, por exemplo, com a seguinte sequência: 100-96-92-88-etc. Cada vez que comete um erro, o sujeito deverá começar de novo.

Exemplos de atenção sustentada

Alguns exemplos clássicos para explicar a atenção sustentada podem ser encontrados no contexto escolar. Por exemplo, quando uma criança precisa resolver um problema de matemática ou um exercício de compreensão de leitura.

Nestas situações, o menor deve ler e compreender o que está escrito, criar uma imagem mental da situação descrita, identificar os dados relevantes, configurar a solução, realizar as operações corretamente no caso da matemática e dar uma resposta. Enquanto você realiza todas estas sequências, o pequeno deve fazer o seguinte:

  • Estar alerta na leitura e nas diferentes fases (arousal).
  • Selecionar a informação pertinente (atenção seletiva).
  • Manter a atenção centrada no problema, "resistindo" a qualquer distração que possa interromper ou interferir com a solução (atenção sustentada).
Atenção sustentada: o que é e como trabalhá-la - Exemplos de atenção sustentada

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Atenção sustentada: o que é e como trabalhá-la, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia cognitiva.

Referências
  1. Marcantoni, M., Fabio, R. A. (2008). L'attenzione. Fisiologia, patologie e interventi riabilitativi. Milán: Franco Angeli.
Bibliografia
  • Muzzarelli, F. (2015). Guidare l'apprendimento. Metodologie e tecniche di formazione in azienda. Milán: Franco Angeli.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
Atenção sustentada: o que é e como trabalhá-la
1 de 3
Atenção sustentada: o que é e como trabalhá-la

Voltar ao topo da página