Partilhar

Sequelas de um surto psicótico

 
Por Pol Clapers Guardi, Psicólogo. 30 dezembro 2019
Sequelas de um surto psicótico

Um surto psicótico é um problema sério que afeta as pessoas acometidas, assim como os seus familiares e amigos. As suas causas são diversas e o significado do seu aparecimento pode variar. Embora sejam episódios breves, o que acontece depois? Foi um evento isolado? O surto pode voltar a ocorrer? Depois de um episódio psicótico nascem muitas perguntas e dúvidas sobre a saúde e futuro da pessoa afetada. Nesse artigo de Psicologia-Online: Sequelas de um surto psicótico, explicamos o que é um surto psicótico, que sintomas provoca, o que fazer se nos encontramos perante um caso e quais as possíveis consequências que apresenta.

O que é um surto psicótico

Um surto psicótico pode ser definido como uma ruptura da realidade de forma temporal, ou seja, a pessoa que sofre de um surto psicótico experiencia delírios e alucinações, alterando a sua percepção e entendimento da realidade durante um período de tempo curto, sem poder distinguir com claridade a fantasia da realidade.

O que leva uma pessoa a ter um surto psicótico?

As causas que podem originar um surto psicótico são variadas e dependem tanto de fatores biológicos como psicológicos. Entre as diferentes causas encontramos o consumo de drogas (especialmente alucinogénicas), exposição a um alto nível de estresse por períodos prolongados ou apresentar outros transtornos psicológicos.

É importante distinguir que um surto psicótico não é o mesmo que esquizofrenia, embora os seus sintomas sejam parecidos. A esquizofrenia é um transtorno psicótico de longa duração e estável, enquanto que os surtos psicóticos são repentinos, temporais e podem ocorrer de forma isolada ou como parte de outro transtorno psicológico como a esquizofrenia ou o transtorno bipolar.

Surto psicótico: sintomas

Os sintomas de um surto psicótico mais característicos são os seguintes:

  • Alucinações: aparecem estímulos sensoriais que não correspondem à realidade. A pessoa vê, escuta, cheira ou sente coisas que não são reais. As alucinações mais comuns são as auditivas, escutando, por exemplo, vozes que podem ou não ter discursos coerentes. As alucinações visuais são menos frequentes, embora possam ocorrer.
  • Delírios: são crenças falsas, ou seja, são crenças erradas sobre fatos, pessoas ou objetos reais, sendo que a pessoa tem segurança absoluta de que essas crenças estão certas. Por exemplo, a crença de que a pessoa está sendo espiada por um conhecido ou familiar.
  • Linguagem e pensamento desorganizado: os pensamentos são incoerentes, confusos, pouco claros e sem sentido. Há uma tendência para saltar de um tema para outro sem uma estrutura clara no discurso, dificultando a sua compreensão. A linguagem também se torna desorganizada e incoerente, chegando a fazer com que ter uma conversa com a pessoa afetada seja muito difícil.
  • Comportamento desorganizado: a forma de atuar da pessoa que sofre de um surto psicótico é totalmente inapropriada para o contexto onde se encontra. Podem ser imprevisíveis e impulsivos.
  • Catatonia: é possível que a pessoa também sofra de limitações psicomotoras, como por exemplo chegar ao ponto de ficar imóvel ou extremamente rígida ou apresentar mutismo temporal.

O que fazer durante um surto psicótico

O que fazer durante um surto psicótico? Quando uma pessoa apresenta um surto psicótico, o primeiro que se deve fazer é avaliar a gravidade na qual ela se encontra, ou seja, determinar se o surto supõe um perigo para ela mesma (autolesões) ou para os outros, para evitar qualquer dano, tentar determinar a origem do surto e comprovar o estado cognitivo.

Uma vez garantida a segurança do afetado e de terceiros, é necessário contatar o serviço de urgências ou assistência clínica para que a pessoa possa ser hospitalizada. Enquanto se está em contato com a pessoa e os serviços de saúde ainda não chegaram, é preferível tentar manter um ambiente de tranquilidade e diminuir a angústia e confusão do acometido, falando com termos simples e diretos para que seja mais fácil que entenda o que está acontecendo. Também é aconselhável avisar familiares e amigos do que acaba de acontecer e tentar que as pessoas de maior confiança estejam presentes.

Surto psicótico: tratamento

O tratamento do surto psicótico consiste em:

  • Tratamento psiquiátrico: o tratamento principal é feito através de medicamentos antipsicóticos como o haloperidol ou a olanzapina.
  • Apoio psicológico: para facilitar o enfrentamento da situação com informação, ferramentas e apoio. Também é fundamental abordar o problema com as famílias para que possam melhorar o cuidado e ajuda ao paciente. Além disso, é importante cuidar da saúde mental dos familiares.
  • Ajuda do ambiente social: as pessoas próximas de alguém afetado por um surto psicótico serão o pilar do seu apoio social e possuem um peso importante no seu prognóstico e qualidade de vida.

Sequelas de um surto psicótico

Sofrer pela primeira vez um surto psicótico é uma experiência que pode alterar a vida de alguém por completo. Pode ser o início de um transtorno psicótico ou um sério aviso sobre o consumo de drogas. Mesmo quando não é a primeira vez, as pessoas que sofrem de surtos psicóticos de forma relativamente cíclica por padecimento de doença mental vivem-nos de forma angustiosa e extenuante, assim como as pessoas que cuidam delas (que podem acabar desenvolvendo síndrome do cuidador).

Com um tratamento médico no momento certo e atenção psicológica, quem sofreu de um surto psicótico pode estabilizar-se novamente em pouco tempo e voltar ao seu dia-a-dia com normalidade. Para determinar a presença de futuras sequelas de surto psicótico, é necessário analisar as causas do mesmo. De forma geral, pessoas que sofreram de um surto por abuso de substâncias têm pouca probabilidade de não voltar a ter um episódio psicótico se o comportamento abusivo for evitado, uma vez que são casos excepcionais. Em outros casos, em pessoas que sofrem de esquizofrenia, transtorno esquizoafetivo, transtorno bipolar o outro transtorno psicótico, a probabilidade de que voltem a surgir surtos psicóticos é muito mais elevada, chegando a prejudicar a qualidade de vida.

Surto psicótico tem cura?

Se você procura saber se um surto psicótico tem cura, tecnicamente a resposta é não. O surto é uma manifestação de uma complexa interação de fatores e problemas subjacentes que acabam resultando nesses sintomas psicóticos característicos. Ainda não foi encontrada uma forma de tratar completamente as suas causas.

Porém, um surto psicológico tem solução? Para esta pergunta, a resposta é mais animadora. Embora não seja possível eliminar as causas, é possível evitar o seu aparecimento ao máximo através de tratamento farmacológico e psicológico como indicado, melhorando o estilo de vida e contando com uma boa rede de apoio. No pior dos casos, se uma pessoa sofre de um surto psicótico, a rápida atuação por parte do ambiente social da mesma será essencial para diminuir o seu mal-estar.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Sequelas de um surto psicótico, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Bibliografia
  • Programa de Prevención de Psicosis. Acessado a 4 de novembro de 2019 em: http://www.p3-info.es/view_article.asp?id=4&cat=1
  • Vispe Astola, A., Hernández González, M., Ruiz-Flores Bistuer, M., & García-Valdecasas Campelo, J. (2015). De la psicosis aguda al primer episodio psicótico: rumbo a la cronicidad. Revista de la Asociación Española de Neuropsiquiatría, 35(128), 731-748.

Escrever comentário sobre Sequelas de um surto psicótico

O que lhe pareceu o artigo?

Sequelas de um surto psicótico
Sequelas de um surto psicótico

Voltar ao topo da página