Partilhar

Ansiolíticos naturais para a ansiedade

 
Por Marta Thomen Bastardas, Psicóloga. 3 março 2020
Ansiolíticos naturais para a ansiedade

A ansiedade é uma reação muito frequente, capaz de afetar negativamente nossa vida cotidiana e ela nem sempre requer um tratamento psicofarmacológico para combatê-la. Quando a ansiedade aparece de forma ocasional e moderada, existem muitos recursos utilizados para reduzi-la, como os exercícios de respiração e relaxamento, a meditação e os ansiolíticos naturais, como as infusões para a ansiedade.

O uso de tratamentos naturais para as doenças físicas e psicológicas é mantido há gerações devido à sua eficácia e um dos seus grupos são os ansiolíticos naturais, uma boa opção para se livrar da ansiedade que possa aparecer de maneira pontual. Se você quer conhecer os ansiolíticos naturais para a ansiedade, continue lendo este artigo de Psicologia-Online, onde explicaremos as particularidades de cada um.

Ansiolíticos naturais

A ansiedade é uma resposta de ativação do nosso organismo, muito comum em nossa sociedade e é acompanhada de um conjunto de sintomas que geram uma incapacidade de continuar com nosso dia a dia da maneira habitual. Diante disso, os medicamentos mais utilizados para seu tratamento são os benzodiazepínicos e os antidepressivos, necessários para reduzir os sintomas apresentados.

No entanto, em muitas ocasiões, a ansiedade ocorre sem que a pessoa esteja sofrendo um transtorno de ansiedade, pois aparece como uma reação normal diante de uma determinada circunstância. Nesse caso, o uso de ansiolíticos naturais pode ser uma boa opção para ajudar a diminuir os níveis de ansiedade que podem aparecer após um dia ruim, ao receber uma má notícia, por estresse,…

Portanto, diante de uma ansiedade moderada e ocasional, é aconselhável utilizar ansiolíticos naturais que são relaxantes naturais para a ansiedade, mas devemos ter em mente que os psicofármacos são necessários em muitas ocasiões, quando existe um transtorno de ansiedade.

Benefícios dos ansiolíticos naturais

  • As terapias naturais devolvem o equilíbrio ao organismo, diminuindo os sintomas apresentados.
  • Muitos ansiolíticos naturais mantêm propriedade sedativas, que contribuem para reduzir os estados de ansiedade, agindo como calmantes.
  • Como os benzodiazepínicos, produzem um estado de sedação e calma, diminuindo a atividade e a exaltação, contribuindo na manutenção do sono.
  • Ao manter um mecanismo de ação diferente ao apresentado pelos psicofármacos sintéticos, não produzem efeitos colaterais.
  • Não é necessário estabelecer um plano terapêutico de administração, seu consumo é realizado ocasionalmente, quando a pessoa precisa.

Vamos conhecer alguns deles. Em seguida, detalhamos 8 ansiolíticos naturais potentes, remédios para a ansiedade sem receita médica.

Ansiolíticos naturais para a ansiedade - Benefícios dos ansiolíticos naturais

1. Valeriana

A valeriana é uma planta da família das valerianáceas, considerada um ansiolítico natural potente, sua raiz é utilizada para obter o efeito sedativo. Portanto, é considerada um remédio natural para a ansiedade. Além de proporcionar sedação, induz um estado de relaxamento, ajuda a promover o sono, ajuda a diminuir a pressão arterial e mantém certos efeitos convulsivos, portanto sua eficácia é estimada nos tratamentos para a epilepsia.

Graças às suas propriedades, a valeriana tende a ser utilizada como um calmante leve, em circunstância de nervosismo generalizado, inquietação, alterações do sono, dores gastrointestinais, na ansiedade e tensão.

O seu consumo é perigoso? A valeriana carece de toxicidade se forem tomadas doses razoáveis, no entanto, sua administração prolongada pode criar dependência, especialmente se a pessoa se automedicar. Além disso, seu consumo excessivo pode produzir flatulências e desconfortos gastrointestinais.

Você está procurando ansiolíticos naturais para grávidas? A valeriana não é um, pois é contraindicada na gravidez e lactação.

2. Papoula da Califórnia

A papoula contém propriedades hipnótico-relaxantes e sua atuação é suave, portanto tende a ser utilizada para o tratamento da insônia em crianças e pessoas da terceira idade. Suas funções são a redução da ansiedade leve, ajuda a controlar os nervos exaltados e reduz a irritabilidade e o estresse. Além de reduzir os sintomas de ansiedade, é útil nos tratamentos de tosses e irritações da garganta, para aliviar dores de cabeça, cãibras musculares e ajuda a reduzir a hipotensão.

A papoula carece de toxicidade e, diferentemente da valeriana, seu consumo prolongado não mostra dependência. No entanto, devido à falta de estudos sobre ela, recomenda-se não a utilizar durante a gravidez e a lactação, bem como no consumo simultâneo com antidepressivos e em pessoas que sofrem de transtorno de tensão ou tomem medicamentos que alterem a pressão arterial.

3. Melissa

A melissa, como a valeriana, produz um efeito sedativo e também possui propriedades hipnóticas. É frequentemente utilizada diante de elevados sentimentos de angústia ou em problemas digestivos, pois é um regulador intestinal.

4. Passiflora

A passiflora funciona para a ansiedade? A passiflora é comumente conhecida como flor da paixão e, para o tratamento da ansiedade, é ideal pelo efeito relaxante, sendo comparada com o valium, sem apresentar os efeitos colaterais. Portanto, se você está procurando ansiolíticos naturais fortes, a passiflora está entre eles. É indicado como calmante, especificamente para o tratamento da insônia, das palpitações e dos transtornos nervosos.

Se você procura ansiolíticos naturais para crianças, deve saber que a passiflora é um deles. Seu efeito é recomendado para crianças maiores de dois anos.

A flor da paixão carece de toxicidade, desde que as quantidades sejam controladas, pois o excesso de consumo pode causar náuseas e vômitos. É contraindicada na gravidez e lactação.

5. Tília

A tília, além de manter uma propriedade relaxante que ajuda a reduzir a tensão nervosa e a insônia, como outras plantas, é um potente ansiolítico natural que também funciona como relaxante muscular, porque sua ação não se concentra apenas no sistema nervoso, pois também age no fígado e, portanto, produz um aumento da função desintoxicante, que contribui para o relaxamento muscular e nervoso. Diante disso, é utilizada como relaxante muscular e nos estados de angústia, ansiedade e excitação.

Cabe destacar que não pode ser administrada simultaneamente com medicamentos anticoagulantes, nem em pessoas que sofram de um transtorno na coagulação do sangue. Por outro lado, deve ser consumido por, no máximo, trinta dias seguidos e seu excesso pode provocar um efeito paradoxal, produzindo taquicardia ou insônia.

6. Lúpulo

O lúpulo tende a ser utilizado nos transtornos nervosos relacionados à menopausa, devido à sua incidência no estrogênio. Além disso, mantém propriedades hipnótico-sedativas e depressivas. Seu uso tende a ser recomendado em estados de ansiedade e inquietação, assim como o excesso de excitação e na insônia de origem nervosa.

Como muitos ansiolíticos naturais, é contraindicado na gravidez e lactação e, especificamente, na hiperestrogenia, ou seja, elevados níveis de estrogênio.

7. Camomila

A camomila produz uma ação calmante leve e é utilizada nos transtornos digestivos de origem nervosa e dor abdominal. Sua principal vantagem é que é uma das poucas plantas que pode ser administrada em um bebê. Portanto, se você está procurando ansiolíticos naturais para crianças, a camomila é ideal.

8. Espinheiro branco

O espinheiro branco é uma planta que tem um efeito calmante maior que o da valeriana e da tília e, portanto, é um ansiolítico natural muito potente. No entanto, é frequentemente utilizado em combinação com a valeriana e a flor da paixão, com o objetivo de potencializar seus efeitos sem causar uma descompensação.

Seu uso é focado na redução do estresse, da ansiedade e outros transtornos nervosos relacionados com o sistema cardiovascular. Portanto, é necessário tomar precauções, pois seus princípios ativos são utilizados em muitos medicamentos para o tratamento de transtornos cardíacos, de modo que não deve exceder a dose recomendada. Sua ingestão prolongada ou seu consumo em doses elevadas podem causar toxicidade hepática, além de alterações respiratórias e cardíacas.

Alimentos ansiolíticos naturais

Uma alimentação saudável e equilibrada também ajudará a diminuir a ansiedade. A dieta deve incluir triptofano, fibras, carboidratos e gorduras saudáveis.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Ansiolíticos naturais para a ansiedade, recomendamos que entre na nossa categoria de Remédios naturais.

Bibliografia
  • García, D. V., Calcerrada, C. D. G., & García, N. P. (2002). Uso de plantas medicinales en el tratamiento de la ansiedad y la depresión. FMC-Formación Médica Continuada en Atención Primaria, 9(1), 50-56.
  • Díaz-Véliz, G., & Mora, S. (2012). Uso de modelos animales en el estudio de plantas medicinales con propiedades ansiolíticas y antidepresivas. Revista de Farmacologia de Chile, 5, 21-6.
  • Ortega, T., García, D., & Carretero, E. (2008). Plantas medicinales.
  • Viola, H. A. M. (1995). Ansiolíticos de origen natural en plantas de uso medicinal folklórico.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Ansiolíticos naturais para a ansiedade
1 de 2
Ansiolíticos naturais para a ansiedade

Voltar ao topo da página