menu
Partilhar

O que é acatisia, sintomas e tratamento

 
Por Equipe editorial. 15 dezembro 2021
O que é acatisia, sintomas e tratamento

Alguma vez você teve a sensação incômoda de não conseguir ficar quieto/a? Certamente, de uma forma ou outra, você experimentou alguma sensação parecida. A acatisia é literalmente a sensação de não poder manter as pernas paradas e o grande incômodo subjetivo que se associa a este mal-estar. Este transtorno se relaciona com uma sensação de inquietação que origina a necessidade de se mover constantemente.

Para que você conheça um pouco mais este transtorno do movimento produzido pelo consumo de neurolépticos, também conhecidos como antipsicóticos ou tranquilizantes maiores, neste artigo de Psicologia-Online, te contaremos o que é acatisia, suas causas, seus sintomas e o tratamento indicado para estes casos.

Também lhe pode interessar: Disônia: o que é, sintomas e tratamento

O que é acatisia

A palavra acatisia provém do grego e seu significado em seu idioma original é, literalmente, "não sentar". Sendo assim, se você se pergunta o que é a acatisia, esta é descrita como uma compulsão por mover as pernas.

O termo acatisia foi empregado pela primeira vez em 1902 pelo neuropsiquiatra e médico checo, Ladislav Haškovec, para se referir a dois pacientes com inquietação e incapacidade de permanecer sentados, sintomas os quais foram atribuídos a causas psicológicas.

A partir dos anos 50, este tipo de casos começou a se associar aos tratamentos com neurolépticos. Este transtorno do movimento induzido por remédios é um dos mais frequentes, por isso surpreende a escassez de pesquisas sobre sua incidência e prevalência.

Sintomas da acatisia

Clinicamente, o transtorno da acatisia pode se manifestar através de dois componentes com sintomas diferentes. Vejamos quais são os principais sintomas da acatisia:

  • Componente subjetivo: conhecida como acatisia subjetiva. É um conjunto de sintomas relatados pelos pacientes em estágios precoces. Principalmente, experimentam uma sensação de inquietação interior, falta de tranquilidade, irritabilidade ou disforia e uma sensação de tensão incômoda e contração nas pernas.
  • Componente objetivo: conhecida como acatisia objetiva. É a incapacidade motora observável de manter os pés quietos. Geralmente é acompanhada de uma alteração do sono que se manifesta com despertares espontâneos durante a noite.

Como saber se tenho acatisia

Os sintomas dos movimentos produzidos pela acatisia são muito variados, portanto não existe um acordo unânime a respeito dos sintomas específicos desta síndrome. Vejamos alguns exemplos dos sinais mais frequentes da acatisia:

  • Golpear com os dedos dos pés.
  • Movimento de cruzar e descruzar as pernas.
  • Balançar o corpo alternando os pés de apoio.
  • Movimentos de braços, mãos, tronco e cabeça.

O paciente se sente melhor quando está se movendo de um lado para o outro ou quando está deitado/a.

Causas da acatisia

A síndrome da acatisia começa nos primeiros dias da ingestão do neuroléptico e pode começar, inclusive, após a primeira hora. Estudos indicam que entre 50 e 85% dos casos aparecem no primeiro mês. Falaremos de acatisia tardia quando o quadro clínico aparecer pelo menos três meses depois do começo de um tratamento com antipsicóticos.

As causas da acatisia não são claras e atualmente não há um acordo a respeito. Alguns dos fatores estudados que podem estar envolvidos em sua aparição e desenvolvimento são os seguintes:

  • A potência do remédio, a dose e seu incremento.
  • O déficit de ferro.
  • O consumo de tabaco em pacientes que tomam remédios psiquiátricos.
  • A presença de transtornos orgânicos prévios.
  • Com menos frequência, observou-se que os inibidores da recaptação de serotonina, como a fluoxetina, sertralina e o lítio, podem induzir acatisia.

Diagnóstico diferencial da acatisia

A acatisia aguda induzida por neurolépticos está incluída no DSM-5, mais especificamente, na categoria de transtornos dos movimentos induzidos por medicamentos e outros efeitos adversos de remédios. O diagnóstico deste transtorno pode ser difícil e se baseia principalmente em perguntar ao paciente se ele tem dificuldade para permanecer parado e tranquilo durante certo tempo e sobre a inquietação e tensão originadas quando tenta fazer isso.

Outras formas para diagnosticar a acatisia são as escalas específicas, como a Barnes Akathisia Rating Scale (BARS) e a Hillside Akathisia Scale, para avaliar a inquietação motora observável, e aspectos subjetivos relacionados com a angústia do paciente diante de tais sintomas.

Frequentemente a acatisia é confundida com ansiedade. A principal diferença é que na primeira predominam a tensão psíquica e a disforia e não se apresentam sintomas fisiológicos característicos da ansiedade, como o nervosismo, a respiração agitada e o suor excessivo. Para poder identificá-la, neste artigo você encontrará informação sobre os diferentes tipos de ansiedade e seus sintomas.

A inquietação nas pernas também é característica da síndrome de Ekbom, mas esta não está associada ao tratamento com neurolépticos e o elemento psicológico é menos relevante.

Consequências da acatisia

A síndrome da acatisia pode ter diferentes repercussões para o paciente. Vejamos quais são as principais consequências da acatisia:

  • Abandono do tratamento devido à pouca aceitação da medicação.
  • Agravamento da sintomatologia psicótica pelo desenvolvimento de interpretações delirantes da inquietude induzida.
  • Hiperatividade e irritabilidade que podem conduzir a comportamentos agressivos ou autoagressivos.
  • Mesmo que a relação seja controversa, foi associada com comportamento suicida.

Tratamento da acatisia

Habitualmente, são utilizados os seguintes métodos para tratar a acatisia:

  • Redução ou supressão do remédio: normalmente, com este tratamento da acatisia os pacientes melhoram.
  • Mudança para um neuroléptico menos potente.
  • Emprego de doses menores e aumento gradual: podem ser medidas eficazes para prevenir a acatisia.

É importante destacar que a acatisia é uma manifestação psiquiátrica que requer um diagnóstico com a finalidade de evitar consequências graves, tais como o abandono do tratamento medicamentosos ou o suicídio, em casos muito severos. Diante destes casos, o melhor é consultar um profissional de saúde para que realize um diagnóstico diferencial e faça os ajustes pertinentes na medicação do paciente.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a O que é acatisia, sintomas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Bibliografia
  • ESCOBAR-CÓRDOBA, F., Álvarez-Vanegas, C., & Torres-Espinosa, L. (2015). Farmacoterapia de la acatisia aguda inducida por neurolépticos. Acta Neurológica Colombiana, 31(4), 447-453. Disponível em: <http://www.scielo.org.co/pdf/anco/v31n4/v31n4a14.pdf> Acesso em: 15 de dezembro de 2021.
  • SANZ GARCÍA, A. I., & Martín Fernández, M. A. (1995). Acatisia: una aproximación clínica. Revista de la Asociación Española de Neuropsiquiatría, 15(54), 397-409. Disponível em: <http://www.revistaaen.es/index.php/aen/article/view/15433/15293> Acesso em: 15 de dezembro de 2021.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
O que é acatisia, sintomas e tratamento
O que é acatisia, sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página