menu
Partilhar

Autocrítica: o que é e como fazê-la

 
Por Equipe editorial. 28 abril 2022
Autocrítica: o que é e como fazê-la

Você sabe o que é autocrítica e por que é importante para nossa saúde mental? A autocrítica é significativa para melhorar nossas habilidades e crescer como seres humanos. No entanto, muitas pessoas cometem erros quando se trata de criticar a si mesmas, já que focam em suas falhas e perdem de vista suas habilidades e capacidades. Obviamente, isto pode ser uma barreira para a autoestima e para o equilíbrio mental.

Uma boa autocrítica não consiste simplesmente em nos lembrarmos das falhas que cometemos, mas também em identificar todas as coisas que estamos fazendo bem para nos desfazer das crenças que nos impedem de avançar e nos focar em nossas próprias capacidades. Neste artigo de Psicologia-Online, falaremos sobre a autocrítica: o que é e como fazê-la. Desta maneira, você terá uma ferramenta para medir objetivamente seu progresso e que te servirá para superar seus possíveis erros.

O que é autocrítica

A autocrítica é uma técnica que consiste em analisar nossos atos, habilidades e formas de nos comportar. Em outras palavras, é uma avaliação individual que se compõe do julgamento, da opinião e da avaliação das ações e do desempenho. Segundo o Dicionário Michaelis[1], o significado da autocrítica é rítica que o indivíduo faz de si mesmo, reconhecendo as qualidades e defeitos do próprio caráter e avaliando os erros e acertos de suas ações.

Ela não se trata somente de revisar o comportamento, mas também de avaliar o desempenho pessoal nas diferentes áreas de nossa vida para ver no que podemos melhorar ou potencializar. Por isso, podemos ser autocríticos com nossa aparência, emoções, desempenho intelectual, comportamento e até com a própria personalidade.

Causas da autocrítica

A origem da autocrítica depende de cada contexto individual. A seguir, mencionaremos algumas das possíveis causas da autocrítica:

  • Pais muito exigentes.
  • Professores e chefes que pressionam em excesso.
  • Colegas de estudo e de trabalho que pressionam e exigem.
  • Participar de esportes ou atividades que são muito competitivas.

Além disso, a autocrítica pode ser o produto de muita pressão diante de diferentes desafios diários como, por exemplo, subir o nível acadêmico, encontrar um/a companheiro/a ou ter que fazer tudo com perfeição. Agora, uma autocrítica bem controlada é benéfica para potencializar alguns de nossos aspectos pessoais. O problema surge quando passa a ser altamente tóxica e se converte em uma limitação para progredir na vida.

Autocrítica e autoconhecimento

A autocrítica bem gerida é essencial para identificar suas forças, fraquezas e acertos pessoais. Por um lado, é fundamental para avaliar como enfrentar as dificuldades assertivamente. Em outras palavras, te permite avaliar seu verdadeiro potencial para desbloquear aqueles obstáculos que te separam do sucesso.

Por outro lado, a autocrítica construtiva ajuda a eliminar hábitos pouco saudáveis e a fortalecer a autoconsciência para o desenvolvimento e crescimento pessoal.

Autocrítica: o que é e como fazê-la - Autocrítica e autoconhecimento

Tipos de autocrítica

Quanto a tipos de autocrítica, existe a construtiva e a destrutiva. Vejamos as características de cada uma delas a seguir.

Autocrítica construtiva

A autocrítica construtiva é uma estratégia que serve para ver o que podemos mudar em nossa vida e assim melhorar como pessoa. Em outras palavras, é um julgamento analítico que ajuda a construir novos caminhos para chegar a uma solução melhor.

É um fato que quem se se vale da autocrítica construtiva, considerada como positiva, possui uma boa autoestima, visto que podem controlar seus próprios erros para aprender com eles, sem chegar a se sentir culpados.

Um exemplo de autocrítica construtiva é quando nos propomos como meta obter uma boa qualificação em uma avaliação acadêmica, mas os resultados que obtivemos não foram os melhores. Então, a partir do diálogo interno, tratamos de analisar em que falhamos para aplicar novas estratégias. Dessa maneira, trabalharemos para ter melhores notas na próxima vez.

Autocrítica destrutiva

Este tipo de autocrítica está focado estritamente nos erros, assim geralmente são uma fonte de bloqueio e de intranquilidade mental. É usual que quem se autocritica de forma negativa tenha uma autoestima muito baixa, pois internamente se trata de uma maneira severa e às vezes cruel.

Segundo a escala de níveis de Thompson e Zuroff, a autocrítica destrutiva pode ser classificada da seguinte maneira:

  • Autocrítica destrutiva comparativa: faz com que você sempre se compare com os outros e nunca acredite que é suficientemente bom para algo.
  • Autocrítica destrutiva internalizada: te prende na crença de que você jamais estará à altura dos desafios, dessa forma quase sempre acaba abandonando as metas traçadas.

Vejamos alguns exemplos da autocrítica destrutiva a seguir:

  • Não acredito que seja uma pessoa qualificada para essa tarefa.
  • Por mais que estudo, nunca passo na prova.
  • Não sou criativo, é melhor nem falar.
  • Não sei me planejar, é melhor eu não continuar nesta equipe, pois não sou bom/a para isto.

Definitivamente, as pessoas que são muito autocríticas têm dificuldade de tomar boas decisões, devido a estarem constantemente incomodadas com suas ações, ideias e atitudes. Neste artigo, te mostramos como tomar uma decisão difícil na vida.

Além disso, é quase impossível para elas pedir ajuda por medo de serem classificadas como fracas ou inconvenientes. E ainda evitam correr riscos e assumir novos desafios.

Como fazer uma autocrítica boa

As chaves para aprender a fazer uma boa autocrítica são as seguintes:

  • Preste atenção em seus pensamentos: aprenda a identificar como você se trata e corrija seu diálogo interno por um padrão positivo e mais compreensivo.
  • Defina metas factíveis: se você tem metas em mente, poderá avaliar a qualidade de seus passos e ações. Porém, não estabeleça objetivos muito ambiciosos, visto que podem te levar à frustração. É melhor dar passos curtos, mas seguros.
  • Não se autocritique nos momentos mais difíceis: respire, procure se acalmar e logo, com mais tranquilidade, avalie todas as suas alternativas.
  • Deixe de lado o perfeccionismo e aceite que todos os humanos cometem erros. Descubra o que é perfeccionismo na psicologia e como superá-lo.
  • Agradeça a cada uma das situações que surgirem: desta maneira, não verá os problemas como erros ou fracassos, mas como grandes oportunidades para a aprendizagem.
Autocrítica: o que é e como fazê-la - Como fazer uma autocrítica boa

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Autocrítica: o que é e como fazê-la, recomendamos que entre na nossa categoria de Crescimento pessoal e autoajuda.

Referências
  1. Dicionário Michaelis. Definição de autocrítica. Disponível em: <https://michaelis.uol.com.br/busca?r=0&f=0&t=0&palavra=autocr%C3%ADtica> Acesso em: 26 de abril de 2022.
Bibliografia
  • De Rosa, L y otros (2012). Perfeccionismo y Autocrítica: Consideraciones clínicas. Revista argentina de clínica psicológica XXI. p.p. 209–215. https://www.redalyc.org/pdf/2819/281929021003.pdf
  • K. Naragon-Gainey, D. Watson, en Enciclopedia del comportamiento humano (segunda edición), 2012.
  • Yamaguchi, A. y Kim, M. (2013). Efectos de la autocrítica y su relación con la depresión en todas las culturas. Revista Internacional de Estudios Psicológicos, 5 (1), 1-10.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
Autocrítica: o que é e como fazê-la
1 de 3
Autocrítica: o que é e como fazê-la

Voltar ao topo da página