menu
Partilhar

Transtorno depressivo persistente: definição, sintomas e tratamento

 
Por Marissa Glover, Psicóloga. 27 março 2021
Transtorno depressivo persistente: definição, sintomas e tratamento

Os transtornos depressivos se caracterizam pela pessoa que sofre de um deles, experimentar principalmente uma tristeza suficientemente intensa e duradoura que chega a impedir que ela viva de forma adequada em uma ou mais áreas de sua vida.

Entre os diferentes tipos de transtornos depressivos que existem, encontra-se o transtorno depressivo persistente. Este tipo de transtorno também é conhecido como distimia e diz-se que as pessoas que sofrem dele têm a sensação de que durante toda sua vida estiveram em um estado de humor negativo. Neste artigo de Psicologia-Online: transtorno depressivo persistente: definição, sintomas e tratamento, vamos te explicar com detalhes tudo que está relacionado com esta condição.

Transtorno depressivo persistente: definição

O transtorno depressivo persistente ou distimia, é um transtorno depressivo do estado de humor de tipo crônico no qual a pessoa experimenta de maneira contínua estados de humor negativos que interferem com seu funcionamento normal ao longo do dia.

A distimia segundo o DSM-V

Para que uma pessoa possa ser diagnosticada com um transtorno depressivo persistente ou distimia, tem que ter sofrido uma série de sintomas relacionados com esta condição (tristeza constante, ter perdido o prazer de fazer as atividades que antes gostava ou simplesmente ter perdido o interesse por realizar atividades novas, entre outros) por pelo menos durante dois anos consecutivos.

Geralmente a distimia ou o transtorno depressivo persistente começa na adolescência e se não for tratado de maneira adequada, pode durar muitos anos. Os sintomas associados a este tipo de transtorno na verdade não são tão graves como os de uma depressão maior, no entanto, devido à sua longa duração e a constância com que se apresentam, é igualmente importante começar a erradicá-lo o quanto antes.

Distimia ansiosa e outras doenças

É comum que as pessoas que sofrem deste transtorno, padeçam também de algum problema de ansiedade, abuso de substâncias ou alternem com algum tipo de transtorno da personalidade. Habitualmente, as pessoas com transtorno depressivo persistente, geralmente estão todo o tempo com uma atitude negativa, pessimista, passiva e perderam seu senso de humor, são extremamente introvertidas, criticam a si mesmas de maneira destrutiva e geralmente estão reclamando o tempo todo de sua situação e das situações externas, isto é, veem tudo de forma "obscura" e sempre percebem problemas e dificuldades a seu redor.

Sintomas da distimia

Como mencionamos anteriormente, para que uma pessoa possa ser diagnosticada com um transtorno depressivo persistente ou distimia, tem que ter apresentado uma série de sintomas por ao menos 2 anos. Entre os principais sintomas que fazem referência a esta doença, encontram-se os seguintes:

  • Sentimentos de desesperança: a pessoa apresenta estados de humor negativos quase todo o tempo e tem a sensação de que sua situação nunca vai melhorar, que jamais vai poder se sentir bem e seguir em frente, que está condenada a viver dessa maneira, etc.
  • Mudanças no apetite: pode chegar a sentir fome em excesso ou o contrário, experimentar uma falta deliberada de apetite.
  • Fadiga: a pessoa se sente o tempo todo com pouca energia, o que é um grande limitante na hora de realizar até mesmo suas atividades cotidianas.
  • Baixa autoestima: tem uma autoimagem ruim sobre si mesmo/a e não reconhece o próprio valor.
  • Falta de concentração: existe uma grande dificuldade para se concentrar, o que pode ser bastante frustrante para a pessoa, já que deixa aos poucos de confiar nela mesma, e isto aumenta a deterioração de sua autoestima e autoimagem, e pode trazer outro tipo de problemas como dificuldade para tomar suas próprias decisões.
  • Problemas de sono: frequentemente têm perturbações no sono, podendo a pessoa dormir demais ou o contrário, não conseguir pegar no sono e dormir muito pouco.
Transtorno depressivo persistente: definição, sintomas e tratamento - Sintomas da distimia

Tratamento do transtorno depressivo persistente ou distimia

É necessário que para poder tratar esta condição, a pessoa receba um tratamento psicológico que em certos casos pode ser combinado com um farmacológico. Isto depende da situação individual de cada pessoa, se está ou não ocorrendo com outro tipo de transtorno e com qual.

Distimia: teste e escalas

Primeiramente, é necessário um cuidado especial no processo de avaliação e diagnóstico do transtorno, já que pode ser confundido com outro. Depois de ter um diagnóstico exaustivo, se começa com a intervenção terapêutica. Para fazer o exame, muitos especialistas optam por utilizar o teste de depressão de beck.

Terapia cognitivo-comportamental para a distimia

De forma geral, o tratamento que deve ser seguido é o seguinte:

A terapia que mostrou ter os melhores resultados para este tipo de condição é a Terapia Cognitivo-Comportamental e nela o que geralmente é trabalhado primeiro é a psicoeducação, a qual é a parte onde se informa ao paciente de maneira detalhada sobre sua condição, se explica quais são suas possíveis origens, a duração, de que forma está o afetando, etc.

Se trabalha também com a reestruturação cognitiva, que tem como finalidade detectar aquelas crenças e pensamentos irracionais que a pessoa tem e que estão influenciando suas emoções, para substituí-los por outros mais positivos e racionais. Se o paciente também sofre de ansiedade (o que acontece na maioria dos casos) se identificam as origens dela e são dadas algumas ferramentas, como os exercícios para redução do estresse e da ansiedade e a meditação. Também são dadas ferramentas como a ativação comportamental para que os pacientes possam enfrentar os episódios depressivos, são ensinados hábitos saudáveis e finalmente são dadas estratégias para a prevenção de recaídas.

Este artigo é meramente informativo, em Psicologia-Online não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou indicar um tratamento. Recomendamos que você consulte um psicólogo para que ele te aconselhe sobre o seu caso em particular.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Transtorno depressivo persistente: definição, sintomas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Psicologia clínica.

Referências
  1. Trastorno depresivo persistente: MedlinePlus enciclopedia médica. (s.f.). Recuperado 16 noviembre, 2018, de https://medlineplus.gov/spanish/ency/article/000918.htm
  2. Trastornos depresivos - Trastornos psiquiátricos - Manual MSD versión para profesionales. (s.f.). Recuperado 16 noviembre, 2018, de https://www.msdmanuals.com/es-es/professional/trastornos-psiqui%C3%A1tricos/trastornos-del-estado-de-%C3%A1nimo/trastornos-depresivos

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Transtorno depressivo persistente: definição, sintomas e tratamento
1 de 2
Transtorno depressivo persistente: definição, sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página